Crédito: iStock

 

Existem muitas técnicas para dar início a meditação, assim como diferentes visões sobre seu significado.

 

Quando eu uso a palavra meditação, me refiro a um processo de completa serenidade mental em que o praticante se torna uma testemunha passiva  em comunhão com a existência.Todas as técnicas estão a serviço de propiciar essa serenidade mental. Porém, você precisa saber que uma coisa são as técnicas meditativas e outra é o estado de meditação.

Qualquer um pode praticar as técnicas, mas o estado de meditação é um fenômeno que ocorre por si só, você não domina, não está sob a jurisdição da sua mente. Nesse estado, costumo dizer que você é pego pela graça e se torna um com ela. Mas é fato: para que isso ocorra, você tem que fazer sua parte e seguir cultivando o silêncio até que esteja suficientemente vazio, pronto para ser “pego”.

Para alguns, meditação significa pensar sobre algo; para outros, meditação significa se esvaziar dos pensamentos. Podemos dizer que essa é, basicamente, a diferença entre a interpretação do Ocidente –onde costumamos meditar sobre algo–, e do Oriente, em que a proposta é se esvaziar do processo do pensamento. Hoje quero falar um pouco sobre a abordagem oriental, na qual você foca no vazio entre os pensamentos.

Se você está querendo começar a se aventurar no caminho da meditação, pode seguir um passo a passo simples:

 

1. Encontre uma postura confortável, em que possa permanecer sentado por um tempo determinado. Mantenha a coluna e a cabeça alinhadas, de forma que seu corpo fique ereto, mas também relaxado —principalmente ombros e braços;

2. Confortável em sua postura, mantenha os olhos fechados e comece a fazer respirações suaves e profundas pelas narinas;

3. A cada respiração, procure se colocar presente, ocupando todo o seu corpo, sem se preocupar com nada;

4. Deixe sua atenção na região entre as sobrancelhas e apenas observe o que se passa. Assim como o céu observa as nuvens, você observa seus pensamentos, emoções e sensações. E os deixa passar;

5. Evite o diálogo interno. Ao se perceber conversando com seus pensamentos e sensações, respire profundamente e retorne ao momento presente. Coloque o foco nos espaços vazios entre os pensamentos e volte a atenção novamente para a região entre as sobrancelhas;

6.Permaneça assim o tempo que achar necessário.

Tenho dito que, se você puder ficar em silêncio por apenas um minuto todos os dias, dará início a um grande processo de transformação na sua vida. Aos poucos, é possível aumentar esse tempo. Quando puder meditar duas horas por dia, todos os dias, conseguirá levar a meditação para todos os momentos da sua vida e viver neste estado de graça e completude.

Pode ser que no começo você encontre dificuldades, como sentir uma grande agitação em sua mente capaz, inclusive, de produzir incômodos em seu corpo para te desviar da focalização do silêncio. Essas manifestações são produtos do pensamento compulsivo, um mecanismo de defesa que impede o mergulho no seu mundo interior.

Continue sentado sem dar atenção a isso, mesmo que seus pensamentos queiram tirá-lo dali. Lembre-se: respire, relaxe e foque no vazio, no vazio entre cada pensamento. É somente isso que precisa ser feito para meditar.

 

Lembre-se: respire, relaxe e foque no vazio, no vazio entre cada pensamento. É somente isso que precisa ser feito para meditar.

Aos poucos, você começa a se acostumar com o silêncio. Aos poucos, você começa a se acostumar a navegar em seu mundo interior. Que possamos nos aprofundar nos mistérios da meditação.

 

Autor: Sri Prem Baba

 

Para participar do nosso grupo de Meditação, clique no link: QUERO PARTICIPAR

VOLTAR


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *